Radiofrequência Tripolar

A Radiofrequência promove o rejuvenescimento natural da pele sem danificar os tecidos. Nenhum outro tratamento é capaz de oferecer este nível de resultados.

Ao longo dos últimos anos as tecnologias não invasivas para eliminação de celulite, redefinição e modelação do corpo, e reafirmação da pele, tornaram-se o padrão de excelência das melhores clínicas mundiais.

O resultado é de tal forma espetacular que nos falta palavras para o descrever. Só vendo e sentindo.

Como funciona?

A radiofrequência combina duas tecnologias inovadoras para obter os melhores resultados. Designada MP2 (Multi Polar Magnetic Pulse), esta tecnologia combina a emissão de pulsos magnéticos com a radiofrequência multipolar, produzindo um efeito de tonificação da pele, redução de circunferência, anti-aging e rejuvenescimento da pele.

Como actua?

Os pulsos magnéticos estimulam a produção da hormona de crescimento responsável pela criação de novos micro vasos sanguíneos e a criação de novo colagénio por estimulação do fibroblasto. Em simultâneo, a radiofrequência octopular aumenta a sintetização do colagénio e a destruição de gorduras, estimulando os mecanismos de auto-reparação da pele.

O tratamento é doloroso?

Alguns pacientes dizem sentir algum desconforto devido à intensidade de calor emitido na zona que está a ser tratada. Esta sensação desaparece ao fim de aproximadamente 30minutos.

Em que zonas pode ser realizado?

A radiofrequência trata eficazmente a celulite e reafirma em simultâneo os tecidos.Pode ser realizada no abdómen, glúteos, coxas, flancos, braços… No tratamento da flacidez pode ser realizado nas zonas referidas mas também no pescoço, decote, face, cotovelos ou joelhos.

Ao fim de quantas sessões vejo resultados?

Depende muito de cada pessoa. Em geral começam a ver-se resultados logo ao 2º tratamento. No caso da celulite deverá ser complementada com uma alimentação adequada e exercício físico regular para um resultado melhor e mais duradouro.

© 2018 Silvia Netto - Clínica Estética & SPA por Diogo Ferreira. Todos os direitos reservados